Primeira mostra Sapiens de Pesquisa e Iniciação Científica tem quase 30 artigos apresentados

07/12/2018   ·    Notícias

A I Mostra Sapiens de Pesquisa e Iniciação Científica, ocorrida na última quarta-feira (5), contou com o total de 29 trabalhos inscritos, com a média de cerca de 70% dos trabalhos apresentados por doutores e mestres.

O número de inscritos superou todas as expectativas para o evento. Vinicius Silveira, professor e coordenador da mostra, explica que 50% dos participantes foram professores e acadêmicos de outras instituições, sendo 30% deles oriundos da Universidade Federal de Rondônia (Unir).

“É um nível elevado para o primeiro evento, que tem uma característica de iniciação científica, mas também de pesquisa; e com a identidade da instituição”, salienta Vinicius. A expectativa, segundo ele, é que ocorra dois eventos ao ano, sendo uma mostra científica, aberta ao público externo; e o outro no formato de feira de ciências, voltado para o público, visando integrar outros grupos dentro faculdade.

Roberto Lucas é acadêmico de Economia da Unir e presentou artigo sobre a variação do preço da gasolina. Levantando dados de 2002 a 2018, ele concluiu que a inflação não tem ligação direta com a variação do preço da gasolina, mas que a taxa de juros sim.

Maria Rita, advogada, apresentou artigo sobre a escuta especial de crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual. Ela explica que na forma tradicional, as vítimas são ouvidas em ambiente muitas vezes hostil, sem a presença de uma equipe multidisciplinar muitas vezes, e em audiências com a presença do próprio abusador.

A escuta especial visa evitar a revitimização destas crianças e adolescentes. “Cada vez que ela vai a um ambiente desse e tem que repetir a história, ela é vítima mais uma vez. Com essa forma de escuta, ela depõe uma única vez, no máximo duas, numa sala equipada, com dispositivos pedagógicos e profissionais adequados, sem ter contato direto com juízes, promotores e o próprio algoz”.

Em sua conclusão, Maria Rita aponta que o depoimento sem dano é fundamental para a humanização da Justiça e essencial para se evitar prejuízos processuais e emocional às vítimas.

Outro artigo apresentado foi sobre o Fluxo das Atividades das Organizações Criminosas, apresentado por Klauber Cardoso.

A pesquisa aponta o seguinte fluxo das organizações, dividida em três níveis: o primeiro é a atividade principal, a que ela se destina (tráfico de drogas, por exemplo); o segundo são os crimes do chamado meio, que são as atividades criminosas que dão suporte a atividade principal (extorsão, roubo, falsificação); no terceiro nível está a lavagem de dinheiro e a corrupção, que são as atividades que alimentam todo o sistema de uma organização.

“O crime organizado precisa validar o dinheiro para que ele possa retroalimentar o sistema, e só assim que os criminosos conseguirão fazer fortuna e viver disfarçadamente no meio social”, explica Klauber, salientando que são nestes dois crimes – lavagem e corrupção – que deve ocorrer mais forte a atuação da polícia, por serem os responsáveis principais pela manutenção de uma organização criminosa no país.

Os 29 artigos inscritos poderão ser conferidos da integra a partir de janeiro, por meio de publicação de livro eletrônico online.

 

Clique fora do campo ou botão para fechar