Alunos de pedagogia da Faculdade Sapiens criam projetos de startups para uma educação inovadora

21/07/2020   ·    Pedagogia

A educação contemporânea enfrenta diversos problemas que exigem uma solução inovadora. Foi com essa perspectiva que alunos do curso de Pedagogia da Faculdade Sapiens apresentaram startups sobre problemáticas como evasão escolar de alunos homossexuais e o combate à criminalidade nas escolas.

Essas startups surgiram de um trabalho integrador, explica Cíntia Gonçalves, coordenadora do curso de Pedagogia. “O objetivo principal é desenvolver nos alunos habilidades e competências para eles trabalharem com resolução de problemas em diversas situações. É preparar para lidar com o desconhecido e saber articular suas habilidades”, explica Cíntia.

“Esse semestre tivemos um desafio um pouco maior: trazer a inovação para o nosso aprendizado. Inovação essa que nos leva a perceber que a pedagogia não é mais apenas para a sala de aula, nos dando uma visão nova, um campo maior de atuação”, explica o professor Andrews Botelho.

Foram oito startups apresentadas:

Startup Respect One – Combate a Evasão Escolar dos alunos homossexuais (Co-Founder Miriã)

Startup EdUh.Kids – Continuidade dos Estudos para as crianças em longo período de internação (Co-Founder Louane)

Startup The Good Student – Combate a Criminalidade nas Escolas (Co-Founder Cláudio Vinicius)

Startup Estrategic – Transformação Digital dos professores (Co-Founder Avilene)

Startup Yong Help – Conexão da família no processo de ensino-aprendizagem (Co-Founder Camila)

Startup Ei Inclusão – Melhorar o desempenho cognitivo, Socioafetivo e Psicomotor das crianças com algum nível de transtorno ou espectro (Co-Founder Gabriela)

Startup Círculo A – Fortalecimento dos laços Socioafetivo entre alunos e professores (Co-Founder Rute)

Startup Ambiens – Conectar indústria + professor + alunos + comunidades em desafios gamificados para solucionar problemas do descarte após o consumo (Co-Founder Difany)

O projeto de startup Respect One tem como co-fundadora Miriã Dias, e apresenta como solução uma plataforma de apoio à comunidade LGBTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e pessoas intersex), com fóruns de trocas de informações entre os usuários (com possibilidade de organização de campanhas e protestos), conteúdo produzido por profissionais da área e outras funções.

“Sempre tive muito contato com as lutas LGBTQIA+, e diante de vários dados alarmantes dessa população, e todas as situações que já presenciei também, com amigos e etc., me motivaram a me empenhar nesse trabalho”, explica Miriã.

Outro projeto é da co-fundadora Louane Rocha, a startup EDUH.KIDS, uma plataforma digital que visa suprir as necessidades educacionais de um aluno que está afastado da escola por motivos hospitalares.

“Sabemos que é direito de toda criança ter acesso à escola, e quando a mesma se encontra hospitalizada esse direito é violado. Nossa plataforma veio na intenção de mudar isso, ajudando a criança a continuar os seus estudos e assim garantir uma volta para a sociedade sem muitos prejuízos na vida escolar”, explica Louane.

O professor Andrews Botelho explica que a Faculdade Sapiens busca sempre inserir matérias de inovação para dar uma perspectiva maior para os graduandos. “A solução é desenvolvida a partir da identificação e recorte de um problema relevante e de grande impacto vivenciado pelos atores do ecossistema da educação: pais, professores, diretores, escolas, alunos, secretaria de educação, indústria didática etc.”, explica Andrews.

Após esse passo, os acadêmicos constroem soluções usando ferramentas como Mapa de Empatia, Design Thinking, Estratégia do Oceano Azul, brainstorming, cardápio de ideia, Business Model Canvas, matriz Market Fit, Motor de Crescimento, Startup Enxuta, MVP, prototipação e validação da solução.

Clique fora do campo ou botão para fechar