CURSO
Engenharia Ambiental

Voltar para todos os cursos

O objetivo da engenharia ambiental é garantir que o desenvolvimento social e o uso de recursos hídricos, terrestres e aéreos sejam sustentáveis. Essa meta é alcançada gerenciando esses recursos para que a poluição e a degradação ambiental sejam minimizadas.

A atuação do Engenheiro Ambiental é ampla e, por isto, deve compor um vasto conjunto de aptidões.

O profissional formado no Curso de Engenharia Ambiental deve ser dotado de conhecimentos para desenvolver as seguintes competências: adquirir conhecimentos sólidos das ciências fundamentais de base para a engenharia (matemática, física, química, biologia), das ciências ambientais (água, ar solo) e das tecnologias de controle ambiental; ter capacidade de diálogo técnico-científico, inclusive no que respeita aos paradigmas e aos jargões setoriais, com profissionais que tradicionalmente atuam na área ambiental, como a geografia, a geologia, a biologia, a economia, ciências humanas, ciências agrárias e ciências da saúde; possuir capacidade de atuar em equipes interdisciplinares; adquirir elevada capacidade de expressão oral e escrita; ter conhecimento dos fundamentos da metodologia científica; ter conhecimento de recursos de informática; possuir visão crítica da atuação social e política da engenharia; possuir visão crítica da política ambiental e atualização quanto aos movimentos sociais que tratam da temática ambiental.

Duração: 10 semestres

Carga horária: 4.040

CARREIRA

Os engenheiros ambientais estudam problemas de poluição da água, do solo e do ar e desenvolvem soluções técnicas necessárias para resolver, atenuar ou controlar esses problemas de maneira compatível com questões legislativas, econômicas, sociais e políticas. Estão particularmente envolvidos em atividades como abastecimento de água e esgoto, gestão de águas superficiais e subterrâneas, remediação de áreas contaminadas e gestão de resíduos sólidos.

As atividades destes engenheiros incluem, mas não estão limitadas a planejamento, projeto, construção e operação de instalações de tratamento de água e esgoto em municípios e indústrias, modelagem e análise de águas superficiais e subterrâneas, projeto de solos e sistemas de remediação, planejamento para a eliminação e reutilização de águas residuais e lamas e a recolha, transporte, processamento, valorização e eliminação de resíduos sólidos de acordo com as práticas de engenharia aceites.

Os engenheiros ambientais são chamados a desempenhar um papel importante na proteção ambiental, porque as soluções de engenharia são necessárias para atender aos padrões ambientais estabelecidos pela legislação.

Empresas de consultoria, agências governamentais, indústrias e organizações não-governamentais e contratadas especializadas são potenciais empregadores para engenheiros ambientais.

MERCADO

O emprego de engenheiros ambientais deve crescer 8% de 2016 a 2026, aproximadamente a média de todas as ocupações.

As preocupações dos governos estaduais e locais sobre a água estão levando a esforços para aumentar a eficiência do uso da água. Tal enfoque difere do tratamento de águas residuais, para o qual essa ocupação é tradicionalmente conhecida. A maior parte do crescimento projetado de empregos para engenheiros ambientais está nos serviços profissionais, científicos e técnicos, à medida que os governos nos níveis estadual e local recorrem à indústria para ajudar a abordar as preocupações com a eficiência hídrica.

Os requisitos do governo federal para limpar locais contaminados devem ajudar a sustentar a demanda pelos serviços desses engenheiros. Os engenheiros ambientais devem continuar a ser necessários para ajudar as empresas de serviços públicos e as estações de tratamento de água a cumprir as regulamentações ambientais federais ou estaduais, como os regulamentos relativos às emissões de usinas termoelétricas a carvão.

REMUNERAÇÃO

De acordo com a lei nº 4.950-A, de 1966, todos os profissionais graduados em Engenharia, Arquitetura, Agronomia, Química e Veterinária devem receber os seguintes pisos salariais, independentemente do local de atuação (a lei é válida para todo o território nacional):

  • para a jornada diária de seis horas: seis salários mínimos;
  • para a jornada diária de sete horas: 7,25 salários mínimos;
  • para a jornada diária de oito horas: oito salários mínimos.

A engenharia ambiental está entre as profissões mais bem pagas do Brasil, com salários iniciais acima dos R$ 4.000,00.

Clique fora do campo ou botão para fechar